Switch e Roteador

Roteador e Switch

Algumas pessoas podem achar que se trata de uma dúvida boba, mas ainda há diversas outras que não sabem a distinção entre roteador e switch.

Os dois equipamentos são parecidos, porém há funções distintas para executar em uma rede.

Portanto, a presente matéria terá como finalidade expor um pouco sobre o switch e o roteador.

O que é switch?

A grande maioria das pessoas costumam utilizar switches para conectar seus computadores, servidores e impressoras.

Um switch tem como finalidade permitir que os dispositivos em rede conversem uns com os outros de forma eficaz.

Existem duas categorias básicas de switches de rede, conforme abaixo demonstrado:

Switches Modulares – Conforme o próprio nome indica, este tipo de switch permite que seja adicionado módulos de expansão, de acordo com a necessidade.

Desta forma, proporcionará uma flexibilidade maior para lidar com as alterações nas estruturas de rede de um determinado empreendimento.

Alguns exemplos de módulos de expansão são o Wirelles, Firewall, fontes de energia, ventiladores adicionais, interfaces adicionais, entre outros.

Switches de configuração fixa – Este tipo de switch possui um número de portas fixo e desta forma, não podem ser expandidos.

Os switches de configuração fixa podem ainda ser divididos em 3 espécies:

  • Inteligentes
  • Não gerenciados
  • Gerenciados L2 e L3

Switches inteligentes

É uma alternativa mais acessível quanto a valores ao comparar aos switches gerenciados.

Variam os recursos disponibilizados para o switches inteligentes.

Porém, possuem uma interface para gerenciamento que é baseada em navegador, sendo que era a única forma de configurar estes dispositivos.

Nos dias atuais, é possível gerenciar alguns dispositivos com CLI e ou SNMP/RMON.

De todo modo, os recursos são bem mais leves que os dos switches gerenciados.

A interface de gerenciamento dos Smart Swicthes costuma ser mais simples que a dos gerenciados.

Smart swicthes tem como finalidade segmentar a rede em grupos de trabalho, criando VLANs, porém com uma redução do númeor de VLANs e endereços MAC comparado ao switch gerenciado.

Além disso, há também níveis de segurança, com autenticação de ponto de extremidade 802.1x e com o número limitado de listas de controle de acesso, porém os níveis de granularidade e controle são distintos do switch gerenciado.

Este tipo de switches suportam a QoS, sendo uma solução muito versátil.

Switches não gerenciados

São mais acessíveis e mais utilização na implantação de cenários que necessitam somente da camada 2 básica de rede.

São ideais para aqueles que necessitam de portas extras na mesa, em uma sala de conferências, entre outros.

Há disponível no mercado switches com recursos como diagnóstico de cabos, recursos de economia de energia usando EEE e até PoE.

O problema é que estes tipos de switches não podem ser gerenciados e sequer modificados.

Desta forma, bastar contar e estará pronto para usar, já que não precisam de qualquer configuração.

Switches Gerenciados L2 e L3

Foram desenvolvidos para oferecer um conjunto maior de recursos, com mais controle, segurança e gerenciamento mais precisos da rede.

Costumam ser implementados como switches de agregação ou acesso ou como switches principais em redes menores e desta modo, Suportam L2 e IP L3.

Roteador – O que é?

É o responsável por fazer a conexão de redes diferentes.

O roteador, nada mais é que, um equipamento da camada 3 do modelo OSI.

É o roteador o responsável por conectar os computadores a uma rede de internet.

 

Switch e Roteador – A diferença

A diferença é que o primeiro cria uma rede, já o segundo faz a conexão com as redes.

Portanto, o roteador tem como finalidade fazer a ligação do computador à Internet e o switch, que é responsável em estabelecer a comunicação entre os dispositivos na rede privada.

Para saber sobre outros assuntos ligados a internet, acesse o nosso site

Posted in Blog and tagged , , , .